terça-feira, agosto 31, 2004

Pacific Princess requisitado pelos Assuntos do Mar

Image Hosted by ImageShack.us


Nota introdutória: se possível, este post deve ser lido ao som de In The Navy dos Village People.
Sempre atento, o
guardião da soberania portuguesa, depois de resolvidos os problemas no teatro de operações propriamente dito, prepara já a segunda fase do seu plano de acção: a requisição do célebre «Barco do Amor» para, numa genial jogada de propaganda, anular o efeito pernicioso da passagem do navio da «Women on Waves» pelas imediações das costas lusitanas. Profundo conhecedor da importância da comunicação no mundo mediatizado de hoje, o mais valente herói do mar da nossa nação imortal, desdenhou das ofertas que lhe terão sido secretamente dirigidas pelo comando da NATO e pelo próprio Imperador Bush II que, segundo fontes bem informadas, terá sugerido o torpedeamento do chamado «Barco do Aborto» (solução para a qual terá inclusivamente posto à disposição da marinha portuguesa um sofisticado submarino norte-americano), tendo avançado para uma solução mais soft, mas que oferece garantias de um bom share televisivo. No entanto, como todas as decisões que envolvem os grandes assuntos da Pátria, sabe-se que esta não foi uma decisão fácil. Por um lado havia a poderosa argumentação de Bush II (também ele um mestre da comunicação) que se disponibilizou para fazer chegar ao SIS um relatório secreto da CIA, alertando para a existência de armas de destruição massiva nos porões do navio invasor, ao mesmo tempo que acenava aos olhos do nosso defensor com fotografias sensualíssimas dos mais bonitos submarinos imperiais, tripulados pelos mais viris marinheiros da América do Norte (um golpe sujo, diga-se, que terá mesmo levado o herói lusitano a babar-se). Por outro lado, havia a argumentação igualmente sólida do líder do governo português (o verdadeiro idiota desta iniciativa), que lembrou ao seu velho amigo as virtudes da dolce vita no que concerne à distracção do povinho. O plano é tão simples quanto eficaz. O Pacific Princess deverá entrar em águas portuguesas pelo Algarve, atracando na Quinta do Lago, onde apanhará os últimos veraneantes do colunável verão algarvio. Depois zarpará para Cascais, onde recolherá a nata sobrante. Por fim, ancorará ao largo da Figueira da Foz, local escolhido para uma festa de arromba, com cobertura exclusiva da revista Lux. Realce-se ainda o facto de estar previsto o funcionamento de um casino no navio, durante toda a viagem.
Nota final: prevendo eventuais descuidos na festa que se adivinha orgiástica, será aberta uma conta especial para as convidadas numa clínica londrina. Questionada sobre a razão da escolha, quando há outras opções mais próximas, fonte governamental referiu que «Badajoz é para a classe média» e que «as senhoras da alta sociedade vão a Londres».