sábado, novembro 13, 2004

Paralelismos

Muito se tem escrito sobre a perspicácia americana para detectar perigos para a humanidade. Argumenta-se que tal como ontem os americanos defenderam a Europa do nazismo, são agora também eles que nos defendem do islamismo. Espanta-me que quem se dedica a este exercício, não se preocupe também em demonstrar outro paralelismo histórico: as condições socio-económicas na Alemanha entre as guerras e as que se vivem no mundo árabe. Logo à primeira, ocorre-me a imagem de dois povos humilhados e empobrecidos. Não seria mais útil centrarmo-nos nas causas, em vez de nos extasiarmos no apagar dos fogos? E, admitindo que eles já lavram e que têm que ser circunscritos, será apropriado regá-los com petróleo?

1 Comments:

Blogger JAM said...

Os iraquianos são bombardeados e roubados. Os palestinianos e os tchechenos vêem as suas casas destruídas e os seus dirigentes assassinados ou presos. Os imigrantes muçulmanos na Holanda não encontram trabalho, porque têm que indicar a religião a que pertencem nas fichas de candidatura e quase ninguém dá trabalho a muçulmanos.
É certo que a vida está má para todos, em todo o mundo. Mas, cada vez mais, são sempre os mesmos a ser marginalizados e humilhados. Será que depois nos podemos queixar?

E já agora, para aqueles que pensam que o Islão é uma religião assassina, está escrito no Alcorão que “o profeta disse que só Alá tem poder para criar e para finalizar. Ninguém tem o direito de matar. Ninguém”. Até mesmo o suicídio é condenado pelo Alcorão.

10:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home