segunda-feira, novembro 15, 2004

Relatório Minoritário

Portas zangou-se com Santana. Gomes da Silva correu a acalmar o parceiro de coligação. A estabilidade governativa mantém-se por mais algum tempo. Quanto? Não se sabe. O que se sabe é que neste governo quem detém o poder é o partido minoritário. E que Santana sai enfraquecido do congresso. Não tanto por eventuais oposições internas à sua liderança, como pela pressão de Portas. A própria divulgação da notícia não é inocente. Sendo que o encontro entre Portas e Gomes da Silva terá ocorrido em casa de um militante do CDS-PP, as possibilidades de fugas de informação era muito diminutas. Gomes da Silva está posto de parte. Além de ser um indefectível de Santana, é politicamente tão inábil, que não teria quaisquer hipóteses de sobrevivência sem o seu génio, pelo que não terá nenhum interesse em divulgar uma informação prejudicial para Santana. O anfitrião só o terá sido por ser um homem de inteira confiança do seu líder de partido, o que o exclui de uma decisão hostil a Portas. Quem sobra?