sábado, dezembro 18, 2004

Porque é que eu não "bato" no Manuel Monteiro

Sendo comuns na blogoesfera os remoques humorísticos à figura de Manuel Monteiro e ao seu PND, dei por mim a pensar porque é que nunca me lembrei de mandar também uma gracinha a um dos fenómenos mais risíveis do espectro político nacional. Não precisei, felizmente, de pensar muito para chegar a algumas conclusões:

1º Porque a ideia do digaaomanel.com é, por si só, de uma comicidade praticamente inultrapassável;
2º Porque, não obstante os seus fatos impecáveis, não deixa de ter um ar de menino subnutrido;
3º Porque o seu esforço para parecer jovem, irreverente e actual é tão pândego que chega a ser comovedor;
4º Porque ele é uma espécie de cordeiro sacrificado à paixão de Paulo Portas pelo poder, o que faz dele uma vítima (e com as vítimas não se goza);
5º Porque ele é tão inócuo que não representa uma ameaça para nada nem ninguém;
6º Porque se alguma vez alguma destas condições se alterar, obrigando-me a reconsiderar a minha posição de "não agressão" ao fenómeno, posso sempre dizer ao Manel.