sexta-feira, fevereiro 04, 2005

A certeza e a dúvida

Não restam dúvidas. Santana é um político suicidário. Já não falo da questão do boato, onde só quem não quer não vê a intencionalidade do dirigente do PSD em colar a Sócrates a imagem de homossexual e de, por oposição, arvorar-se em modelo masculino «superior», com o rídiculo a que assim se expõe. Falo dos cartazes. Do sabermos quem é este e não sabermos quem é aquele. Até aí, Santana dispara sobre si mesmo. Porque é precisamente por sabermos quem ele é que não o queremos. E é por não conhecermos bem Sócrates que lhe podemos dar o benefício da dúvida. Enquanto Santana já provou que não presta para primeiro-ministro, de Sócrates ainda não o sabemos, o que, se exclui o primeiro do leque de opções, não exclui o segundo.