terça-feira, outubro 04, 2005

Por falar em marketing político...

...e sem querer sugerir (e muito menos advogar) qualquer viragem para um certo compositor grego cujo nome começa por V e faz vagamente lembrar o vocábulo angélico, não poderia a CDU mudar a música? Ou, pelo menos, evitar bombardear as ruas de Lisboa com aquela mesma melodia distorcida? É que já não há pachorra...